Atitudes e condutas emocionais dos técnicos de basquetebol: a percepção dos atletas de duas equipes do campeonato da FGB

João Luís Coletto da Silva, Leticia Borfe

Resumo

Objetivo: Investigar as possíveis diferenças na percepção dos atletas de duas equipes participantes do campeonato promovido pela Federação Gaúcha de Basquete (FGB), em relação aos comportamentos, atitudes, condutas, fluência da comunicação e estados emocionais dos técnicos. Métodos: Foram sujeitos deste estudo 25 atletas adolescentes, na faixa etária entre 14 e 15 anos. A investigação baseou-se com delineamento ex-post-facto, de caráter descritivo comparativo, e teve como instrumento o questionário Coaching Behavior Questionnaire com perguntas objetivas em uma escala de Likert de 1 a 4. Para verificar as questões mais e menos valorizadas, estratificados, por dimensões, foi utilizada a estatística descritiva, apresentando as médias e o desvio padrão. Resultados: Fica evidente que existiram diferenças entre as filosofias dos dois clubes pesquisados, devido, principalmente, aos comportamentos e condutas apreendidas dos atletas em relação aos seus educadores. Os atletas da equipe A possuem médias superiores em relação aos atletas da equipe B. Conclusão: A percepção de uma equipe é distinta da outra, mostrando o papel fundamental que o treinador tem no seu trabalho profissional e pedagógico.

 

ABSTRACT.  Emotional attitudes and behaviors of basketball coaches: the perception of the athletes of two FGB championship teams. Objective: To investigate the possible differences in the perception of the athletes of two teams participating in the championship promoted by the Gaucho Federation of Basketball (FGB), in relation to behaviors, attitudes, behaviors, communication fluency and emotional states of the coaches. Methods: 25 adolescents, aged 14 to 15 years, were subjects of this study. The research was based on an ex-post facto design, with a comparative descriptive character, and had as instrument the Coaching Behavior Questionnaire with objective questions on a Likert scale of 1 to 4. To verify the more and less valued, stratified issues, by means of descriptive statistics, using the means and the standard deviation. Results: It is evident that there were differences between the philosophies of the two clubs studied, mainly due to the behaviors and behaviors seized of the athletes in relation to their educators. The athletes of team A have superior means in relation to the athletes of team B. Conclusion: The perception of one team is different from the other, showing the fundamental role that the coach has in his professional and pedagogical work.

Palavras-chave

Percepção; Comportamento; Atletas.

Texto completo:

PDF

Referências

AFONSO, J. Como desenvolver no atleta a capacidade de controle emocional em situações de elevada pressão. Lecturas: Educación Física y Deportes, Revista Digital, Buenos Aires, v. 11, n. 105, 2007. Disponível em: . Acessado em: 19 de junho de 2019.

BARRETO, J. A. Psicologia do esporte para o atleta de alto rendimento. Rio de Janeiro: Shape, 2003.

BECKER, B. J. Manual da psicologia do esporte e exercício. Porto Alegre: Nova Prova, 2000.

BECKER, B. J. Psicologia aplicada ao treinador esportivo. Novo Hamburgo: Feevale, 2002.

CELESTINO, T. F. S.; LEITÃO, J. C. G. C.; PEREIRA, A. M. A. Determinantes para a excelência na Orientação: as representações de treinadores e atletas de elite. Retos, Murcia, v. 35, n. 1, p. 91-6, 2019.

COLLADO MARTINEZ, J. A.; SANCHEZ SANCHEZ, M. El proceso de llegar a ser excelente en el deporte: el caso de Pau Gasol. Cuadernos de Psicología del Deporte, Murcia, v. 17, n. 3, p. 231-8, 2017.

GUILLÉN, F. G. Psicopedagogía de la actividade física y el deporte. Armenia: Kinesis, 2003.

JOWETT, S. Interdependence analysis and the 3+1Cs in the coach-athlete relationship. In: JOWETT, S.; LAVALEE, D. (Eds.) Social Psychology in Sport. Champaign: Human Kinetics, 2007. p. 15-27.

KENOW, L. J.; WILLIAMS, J. M. Relationship between anxiety, selfconfidence, and evaluation of coaching behaviors. The Sport Psychologist, Champaign, v. 6, n. 4, p. 344-57, 1992.

KERLINGER, F. N. Metodologia da pesquisa em ciências sociais. São Paulo: EPU, 2003.

MACHADO, A. A. Psicologia do esporte. Jundiaí: Fontoura, 1997.

MIRANDA, R.; BARA FILHO, M. G. Estados psicológicos do atleta competitivo. Revista Treinamento Desportivo, Londrina, v. 4, n. 3, p. 61-8, 1999.

OKUMA, S. L.; FERRAZ, O. L. Pedagogia do movimento humano. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, v. 13, n. Esp., p. 78-87, 1999.

QUADROS JUNIOR, A. C.; VICENTIM, J.; CRESPILHO, D. Relações entre ansiedade e psicologia do esporte. Lecturas: Educación Física y Deportes, Revista Digital, Buenos Aires, v. 11, n. 98, 2006. Disponível em: . Acessado em: 21 de junho de 2019.

RIBAS, N.; FAGUNDES, T.; MACEDO, F. A adolescência e suas implicações para a prática esportiva. Cinergis, Santa Cruz do Sul, v. 4, n. 2, p. 43-60, 2003.

RIBEIRO, V. B.; OLIVEIRA, S. R. G.; SILVA, F. G. Preditores psicológicos, reações e o processo de intervenção psicológica em atletas lesionados. Ciências e Cognição, Rio de Janeiro, v. 18, n. 1, p. 70-88, 2013.

ROCHA, C. M.; CAVALLI, F. Percepção de atletas adolescentes acerca de comportamentos de liderança de seus técnicos esportivos. Revista Movimento e Percepção, Espírito Santo de Pinhal, v. 6, n. 8, p. 105-27, 2006.

SAMULSKI, D. Psicologia do esporte. São Paulo: Manole, 2002.

SAMULSKI, D. Psicologia do esporte: teoria e aplicação prática. Belo Horizonte: Centro Audiovisual da UFMG, 1995.

SULLIVAN, P.; JOWETT, S.; RHIND, D. Communication in sport teams. In: PAPAIOANNOU, A. G.; HACKFORT, D. (Eds.) Routledge companion to sport and exercise psychology: global perspectives and fundamental concepts. London: Taylor & Francis, 2014. p. 559-70.

TIGGEMANN, C. L.; MENEZES, L. R.; KUNRATH, C. A.; DIAS C. P. Relação entre fadiga neuromuscular, ansiedade e estresse com o desempenho técnico durante partidas de basquetebol. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v. 12, n. 80, Supl. 3, p. 1171-9, 2018.

TOZETTO, A. B.; MILISTETD M.; COLLET C.; ILHA, T.; ANELLO, J. L.; NASCIMENTO J. V. Treinadores de basquetebol: os desafios da prática na formação esportiva de jovens. Cuadernos de Psicología del Deporte, Murcia, v. 19, n. 1, p. 291-301, 2019.

VILANI, L. H. P. Considerações gerais da psicologia do esporte pediátrica: uma revisão da influência do contexto psicológico sobre jovens atletas. 2001. 96f. Monografia (Especialização em Treinamento Esportivo) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2001.

WEINBERG, R. S.; GOULD. D. Fundamentos da psicologia do esporte e do exercício. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2001.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Incluir comentário
';