Elaboração de planos de aulas para educação física: a percepção discente

Autores

  • Fernanda Carvalho Bittencourt de Oliveira Faculdade Presidente Antônio Carlos de Conselheiro Lafaiete (UNIPAC)
  • Maria Teresa Sudário Rocha Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) https://orcid.org/0000-0003-4142-5593
  • Emerson Cruz de Oliveira Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

DOI:

https://doi.org/10.36453/2318-5104.2018.v16.n1.p185

Palavras-chave:

Plano de aula, Educação Física, Escola

Resumo


O plano de aula é extremamente importante para as atividades docentes, mas pouco se discute sobre os itens que o compõe, assim como os aspectos práticos de sua elaboração. O foco da discussão centrava-se em fundamentos teóricos que também são imprescindíveis, mas que já foram bem discutidos. A reflexão pode ser ampliada, discutindo itens importantes para o registro e a sistematização da produção de conhecimentos na área da Educação Física, por meio dos planos de aulas. O objetivo do estudo foi comparar a percepção dos discentes iniciantes e concluintes de um curso de Licenciatura em Educação Física sobre a importância dos itens que compõem um plano de aula, bem como discutir esses itens considerando aspectos práticos da elaboração de um plano de aula. Trata-se de um estudo exploratório-descritivo, com uma amostra de 15 graduandos com possibilidade real de conclusão do curso (grupo concluintes) e 15 graduandos do primeiro e segundo períodos (grupo iniciantes), de ambos os sexos, que receberam uma lauda de papel pautado com a solicitação de montagem de um plano de aula com o conteúdo de sua escolha. Para análise dos planos de aula, os pesquisadores tinham à sua disposição uma lista de itens previamente elencados após estudo. Para análise estatística dos dados, utilizou-se o teste Qui-Quadrado, sendo adotado nível de significância de 5%. A “descrição das atividades” foi o único item que todos aos alunos perceberam como importante e apresentaram em seus planos. O segundo item mais lembrado foi a definição de objetivos para aula. O contraponto foi a não apresentação de sugestão de “referências bibliográficas” e “espaço para comentários e reflexões após a aula”. Muito ainda precisa ser discutido sobre os demais itens que compõem um plano de aula que não deveria se resumir a uma descrição das atividades propostas para aula.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Carvalho Bittencourt de Oliveira, Faculdade Presidente Antônio Carlos de Conselheiro Lafaiete (UNIPAC)

Maria Teresa Sudário Rocha, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

Emerson Cruz de Oliveira, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

Referências

ALENCAR, E. M. L. S.; FLEITH, D. S. Barreiras à promoção da criatividade no ensino fundamental. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 24, n. 1, p. 59-65, 2008.

ALMEIDA, U. R.; HECKERT, A. L. C.; BARROS, M. E. B. Nas trilhas da atividade: análise da relação saúde-trabalho de uma professora de educação física escolar. Trabalho Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 9, supl. 1, p. 245-63, 2011.

ARRUDA, M. C. C. Escola pública e pobreza no Brasil: a ampliação para menos. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. 143, p. 664-6, 2011.

BARROSO, A.; DARIDO, S. C. A pedagogia do esporte e as dimensões dos conteúdos: conceitual, procedimental e atitudinal. Revista da Educação Física/UEM, Maringá, v. 20, n. 2, p. 281-9, 2009.

BARROSO, A.; DARIDO, S. C. Voleibol escolar: uma proposta de ensino nas dimensões conceitual, procedimental e atitudinal do conteúdo. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 24, n. 2, p. 179-94, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais (Ensino Médio). Brasília: MEC, 2000.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Educação Física. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Educação Física. Secretaria de Educação Fundamental - Brasília: MEC/SEF, 1997.

CABRITO, B. G. Avaliar a qualidade em educação: avaliar o quê? Avaliar como? Avaliar para quê? Caderno CEDES, Campinas, v. 29, n. 78, p. 178-200, 2009.

COLL, C.; MARTIN, E.; MAURI, T.; MIRAS, M.; ONRUBIA, J.; SOLÉ, I.; ZABALA, A. Os conteúdos na reforma: ensino e aprendizagem de conceitos, procedimentos e atitudes. Porto Alegre: Artmed, 2000.

CRUZ, C. E. O planejamento das atividades didáticas. In: CASTRO, A. D. Didática da escola média: teoria e pratica. São Paulo: Edibell, 1976.

DARIDO, S. C. Educação física na escola questões e reflexões. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

FARIA JÚNIOR, A. G. Introdução à didática de educação física. Brasília: Divisão de Educação Física Ministério da Educação e Cultura, 1969.

LAPO, F. R.; BUENO, B. O. O abandono do magistério: vínculos e rupturas com trabalho docente. Psicologia USP, São Paulo, v. 13, n. 2, p. 243-76, 2002.

LIBÂNEO, J. C. Didática. São Paulo: Editora Cortez, 1994.

MACEDO, E. F. Parâmetros curriculares nacionais: a falácia dos temas transversais. In: MOREIRA, A. F. B. (Org.). Currículo, políticas e práticas. Campinas: Papirus, 1999.

MARCONI, M. A; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas; amostragens e técnicas de pesquisa; elaboração análise e interpretação de dados. São Paulo: Atlas, 2009.

NASCIMENTO, A. E.; SILVA, J. V.; SANTOS, F. A. Aulas de educação física escolar: entre o planejamento e a improvisação. In: XVIII Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte (CONBRACE) e V Congresso Internacional de Ciências do Esporte (CONICE). Anais... Brasília, 2013. p. 35-46.

NOGUEIRA, N. O. A apropriação do conhecimento escolar: relações com o currículo numa escola de ensino fundamental. 2004. 191f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2004.

SACRISTÁN, J. G. A avaliação no ensino. In: SACRISTÁN, J. G.; PÉRES GÓMES, A. I. Compreender e transformar o ensino. 4.ed. Porto Alegre: Artmed, 1998.

SCHMITZ, E. F. Planejamento educacional. In: SCHMITZ, E. F. Didática moderna: fundamentos. Rio de Janeiro: LTC, 1983.

SOARES, C. L.; TAFFAREL, C.; VARJAL, E.; CASTELLANI FILHO, L.; ESCOBAR, M. O.; BRACHT, V. Metodologia do ensino de educação física. São Paulo: Cortez, 1992.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

TUBINO, M. J. G. O esporte no Brasil: do período colonial aos nossos dias. São Paulo: Ibrasa, 1996.

UNESCO. O perfil dos professores brasileiros: o que fazem, o que pensam, o que almejam. São Paulo: Moderna, 2004.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

Downloads

Publicado

31-01-2018

Como Citar

OLIVEIRA, F. C. B. de; ROCHA, M. T. S.; OLIVEIRA, E. C. de. Elaboração de planos de aulas para educação física: a percepção discente. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 16, n. 1, p. 185–192, 2018. DOI: 10.36453/2318-5104.2018.v16.n1.p185. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/17265. Acesso em: 26 out. 2021.