Prevalência de lesões em atletas da seleção brasileira de taekwondo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36453/2318-5104.2019.v17.n2.p161

Palavras-chave:

Palavras-Chave, Lesões em Atletas, Prevalência, Artes Marciais, Tae Kwon Do.

Resumo


Objetivo: Identificar a prevalência de lesões em atletas adultos da seleção brasileira masculina de taekwondo. Métodos: Onze atletas com idade média de 24±4,5 anos responderam dois questionários semiestruturados e questões objetivas para investigação dos seguintes aspectos: idade; tempo de prática; graduação; região anatômica afetada em treinos e competições; mecanismos de lesão durante campeonato e treinamento; periodização; duração e frequência de treinos e competições no último ano; e se houve interrupção da prática de taekwondo decorrente das lesões. Resultados: A contusão foi o tipo mais frequente e os membros inferiores os mais acometidos; 27% relataram interrupção do treinamento maior ou igual a 1 dia de treino e/ou competição, em decorrência das lesões. A frequência média de competições; frequência semanal de treinamento e meses de treinamento por ano foram: 6±3 vezes/ano; 5±1 dias/semana e 10±3 meses/ano. Conclusão: A lesão mais prevalente dos atletas da seleção brasileira de taekwondo foi a contusão na coxa e no antebraço decorrente de golpe do adversário durante campeonatos. ABSTRACT. Injurie’s prevalence in athletes of the Brazilian national team of taekwondo. Objective: Identify the prevalence of injuries in male adults’ athletes of the Brazilian team of taekwondo. Methods: Eleven athletes aged 24±4.5 years answered two semi-structured questionnaires and questions for investigation of the following aspects: age; time practicing; taekwondo’s graduation; anatomical region injured during training and/or competitions; injury mechanisms during competitions and training; periodization; duration and frequency of training and competitions in the last year; and if there was interruption of taekwondo practice due to injuries. Results: The contusion was the most frequent injury, and the lower limbs were most affected, 27% reported discontinuation of training and/or competition greater than or equal to 1 day due to injuries. The mean frequency of competitions; training days per week and training months per year were: 6±3 times/year; 5±1 days/week and 10±3 months/year. Conclusion: The most prevalent injury of athletes from the Brazilian team of taekwondo was the contusion in the thigh and forearm during competitions.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Gallon Correa, Forças Armadas Brasileiras (FAB) - Cindacta II

Fisioterapeuta e Educadora Fisica

Anna Raquel Silveira Gomes, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Possui graduação em Fisioterapia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (1997), mestrado em Biologia Celular e Molecular pela Universidade Federal do Paraná (2000) e doutorado em Ciências Fisiológicas pela Universidade Federal de São Carlos (2005). Atualmente é dedicação exclusiva - Complexo CHC/EBSERH, pesquisador colaborador da Pontifícia Universidade Católica do Paraná e docente - Univversidade Federal do Paraná Campus Curitiba. Tem experiência na área de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, com ênfase em Fisioterapia e Terapia Ocupacional, atuando principalmente nos seguintes temas: alongamento, idosos, sarcopenia, exercício resistido e idosas.

Giovanni Luigi Manso Gnata, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Fisioterapeuta

Roderley Reis Cirino, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Fisioterapeuta

Vinicius Podbevsek Coutinho, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Fisioterapeuta

Bernardino Santi, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Especialista em Medicina do Exercício e do Esporte; Especialista em Ortopedia e Traumatologia; Coordenador Médico

Jarbas Melo Filho, Instituto Federal do Paraná (IFPR) Faculdade Inspirar

Graduado em Fisioterapia pela Universidade Estadual do Norte do Paraná, UENP. Mestre em Tecnologia em Saúde pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, PUCPR. Especialista em Fisioterapia Traumato-Ortopédica e Desportiva pela PUCPR e Fisiologia do Exercício Físico pela UENP. Atualmente realiza doutorado no Programa de Pós Graduação em Educação Física da Universidade Federal do Paraná, UFPR e trabalha como professor substituto no Instituto Federal do Paraná, IFPR, no curso Técnico e Tecnólogo em Massoterapia.

Referências

ALBUQUERQUE, M. C.; CSOTA, V. T.; SAMULSKI, D. M.; NOCE, F. Avaliação do perfil motivacional dos atletas de alto rendimento do Taekwondo Brasileiro. Revista Iberoamericana de Psicologia Del Ejercicio y El Deporte, Las Palmas, v. 1, n. 3, p. 75-93, 2008.

ANDRADE, M. A. P.; NOGUEIRA, S. R.; HELUY, G. D. Tendinite patelar: resultado do tratamento cirúrgico. Revista Brasileira de Ortopedia, São Paulo, v. 38, n. 4, p. 186-92, 2003.

BARBOSA, V. B. C.; CONTESSOTO, L. C.; ANVERSA, A. L. B.; REFUNDINI, L. B. Diferença motivacional entre praticantes iniciantes e veteranos do taekwondo. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 16, n. 1, p. 41-46, 2018.

BARSOTTINI, D.; GUIMARÃES, A. E.; MORAIS, P. R. Relação entre técnicas e lesões em praticantes de judô. Revista Brasileira Medicina Esporte, São Paulo, v. 12, n. 1, p. 56-60, 2006.

BARTES, A. A.; DROBNIC, F.; TIL, L.; MALLIAROPOULOS, N.; MONTORO, J. B.; IRUSTIA, A. Epidemiology of injuries in elite taekwondo athletes: two olympic periods cross-sectional retrospective study. BMJ Open, London, v. 4, n. 2, p.e004605, 2014.

BERENGÜÍ, R.; LÓPES, J. M.; GARCÉS DE LOS FAYOS, E.J.; ALMARCHA, J. Factores psicológicos y lesiones deportivas en lucha olímpica y taekwondo. Revista de Ciencias del Deporte, Mérida, v. 7, n. 9, p. 91-8, 2011.

BLEIDSOE, G. H.; HSU, E. B.; GRABOWSKI, J. G.; BRILL, J. D.; LI, G. Incidence of Injury in Professional Mixed Martial Arts Competitions. Combat Sports Special Issue Research article. Journal of Sports Science and Medicine, Bursa Turkey, v. 5, n. 5, p. 136-42, 2006.

CARAZO-VARGAS, P.; GONZÁLEZ-RAVÉ, J. M.; NEWTON, R. U.; MONCADA-JIMÉNEZ, J. Periodization model for Costa Rican taekwondo athletes. Strength and Conditioning Journal, Colorado Springs, v. 37, n. 3, p. 74-83, 2015.

CARVALHO, P. A.; HANNA, S. J.; OHIRA, M. M.; KOCH, H.; REVITE, L. R.; PINTO, R. X.; CARDOSO, D.; NETO, R.C. Prevalência de lesões no judô de alto rendimento. Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 14-19, 2009.

CHEMELLO, G.; BONONE, C. G. G. Taekwondo - escola - família: comportamentos e atitudes de atletasda cidade de São Marcos-RS. Do Corpo: Ciências e Arte, Caxias do Sul, v. 4, n. 1, p. 1-16, 2014.

COVARRUBIAS, N.; BHATIA, S.; CAMPOS, L. F.; NGUYEN, D. V.; CHANG, E. Y. The relationship between Taekwondo training habits and injury: a survey of a collegiate Taekwondo population. Open Access Journal of Sports Medicine, Westminster, v. 22, n. 6, p. 121-7, 2015.

DARIO, B. E. S.; BARQUILHA, G.; MARQUES, R. M. Lesões esportivas: um estudo com atletas do basquetebol bauruense. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Porto Alegre, v. 31, n. 3, p. 205-15, 2010.

FERNANDES, F. M. Análise biomecânica do chute apb alapdoliotchagui do taekwondo realizado por iniciantes. 2012. 55f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Universidade São Judas Tadeu, São Paulo, 2012.

FIFE, G. P.; O´SULLIVAN, D. M.; LEE S. Y. Rotational and linear head accelerations from taekwondo kicks and punches. Journal of Sports Sciences, London, v. 36, n. 13, p. 1461-4, 2018.

FRONTEIRA, I. Estudos observacionais na era da medicina baseada na evidência. Acta Médica Portuguesa, Lisboa, v. 26, n. 2, p. 161-70, 2013.

IWAMA, M.; MIYAMOTO, N.; TEIXEIRA, D.; LINS, D. WTF WORLD TAEKWONDO FEDERATION, 25th WTF General Assembly. In: On the occasion of: WTF Qualification Tournament for Nanjing 2014, Youth Olympic Games and 10th WTF World Junior Taekwondo Championships. Taipei City, Chinese Taipei, 2014. Anais... Confederação Brasileira de Taekwondo, 2014.

JI, M. Analysis of injuries in taekwondo athletes. Journal of Physical Therapy Science, Bethesda, v. 28, n. 1, p. 231-4, 2016.

KAZEMI, M.; PERRI, G.; SOAVE, D. A profile of 2008 Olympic Taekwondo Competitors. Journal of the Canadian Chiropractic Association, Toronto, v. 54, n. 4, p. 243-9, 2010.

KAZEMI, M.; SHEARER, H.; CHOUNG, Y. S. Pre-competition habits and injuries in taekwondo athletes. BMC Musculoskelet Disorders, North Andover, v. 6, n. 26, p. 6-26, 2005.

KAZEMI, M.; CHUDOLINSKI, A; TURGEON, M.; SIMON, A.; HO, E.; COOMBE, L. Nine years longitudinal retrospective study of Taekwondo injuries. Journal of the Canadian Chiropractic Association, Bethesda, v. 53, n. 4, p. 272-81, 2009.

KIM, Y. J. Arte Marcial Coreana: taekwondo. São Paulo: Thirê, 1995.

LEE, M.; YOUM, C.; SON, M.; KIM, J.; KIM, Y. Effects of chronic ankle instability and induced mediolateral muscular fatigue of the ankle on competitive taekwondo athletes. Journal of Physical Therapy Science, Tokyo, v. 29, n. 8, p. 1329-35, 2017.

LYSTAD, R. P.; GRAHAM, P. L.; POULOS, R. G. Exposure-adjusted incidence rates and severity of competition injuries in Australian amateur taekwondo athletes: a 2-year prospective study. British Journal of Sports Medicine, London, v. 47, n.7, p. 441-6, 2013.

MATA, C. D. G; VENCESBRITO, A. A Incidência e prevalência de lesões no taekwondo. Uma abordagem na região centro de Portugal. Revista da Unidade de Investigação do Instituto Politécnico de Santarém, Santarém, v. 3, n. 2, p. 2-20, 2014.

NAM, S. S.; LIM, K. Effects of taekwondo training on physical fitness factors in korean elementary students: a systematic review and meta-analysis. Journal of Exercise Nutrition & Biochemistry, Seul, v. 23, n. 1, p. 36-47, 2019.

OLIVEIRA, M. R.; BANG, F. S. J.; QUITERIO, R. J.; PADOVANI, C. R.; OLIVEIRA JÚNIOR, S. A. Incidência e caracterização de lesões desportivas no taekwondo segundo o gênero. Revista Inspirar, Curitiba, v. 2, n. 4, p. 33-40, 2010.

PAPPAS, E. Boxing, wrestling, and martial arts related injuries treated in emergency departments in the United States, 2002-2005. Journal of Sports Science and Medicine, Bursa, v. 1, n. 6, p. 58-61, 2007.

SANTOS, S. G.; DUARTE, M. F. S.; GALLI, M. L. Estudo de algumas variáveis físicas como fatores de influência nas lesões em judocas. Revista Brasileira Cineantropometria Desempenho Humano, Florianópolis, v. 3, n. 1, p. 42-54, 2001.

SOUZA, J. M. C.; FAIM, F. T.; NAKASHIMA, I. Y.; ALTRUDA, C. R.; MEDEIROS, W. M.; SILVA, L. R. Lesões no karate shotokan e no jiu-jitsu: trauma direto versus indireto. Revista Brasileira Medicina do Esporte, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 107-10, 2011.

TAMBORINDEGUY, A.; TIRLONI, A. S.; REIS, D. C.; FREITAS, C. D. R.; MORO, A. R. P.; SANTOS, S. G. Incidência de lesões e desvios posturais em atletas de taekwondo. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Brasília, v. 33, n. 4, p. 975-90, 2011.

ZETARUK, M. N.; VIOLÁN, M. A.; ZURAKOWSKI, D.; MICHELI, L. J. Injuries in martial arts: a comparasion of five styles. British Journal of Sports Medicine, London, v. 39, n. 1, p. 29-33, 2005.

Downloads

Publicado

30.09.2019

Como Citar

CORREA, D. G.; GOMES, A. R. S.; GNATA, G. L. M.; CIRINO, R. R.; COUTINHO, V. P.; SANTI, B.; MELO FILHO, J. Prevalência de lesões em atletas da seleção brasileira de taekwondo. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 17, n. 2, p. 161–168, 2019. DOI: 10.36453/2318-5104.2019.v17.n2.p161. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/22389. Acesso em: 25 jun. 2022.