Nomes e sobrenomes dos guarani e kaiowá de Mato Grosso do Sul

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/odal.v1i2.25490

Palavras-chave:

Guarani, Kaiowá, Antroponomástica

Resumo


Nomes e sobrenomes guarani e kaiowá possuem uma origem histórica a partir do contato com os colonizadores europeus. Aos poucos, os nomes tradicionais estão entrando em desuso, do ponto de vista social, mas têm insistido a sua permanência do ponto de vista religioso, como uma espécie de proteção. Neste artigo, apresentamos um levantamento dos nomes civis de professores indígenas guarani e kaiowá que passaram pela Licenciatura Intercultural Indígena – Teko Arandu, Universidade Federal da Grande Dourados – UFGD, Mato Grosso do Sul. O levantamento foi realizado a partir do Sistema de Controle de Turmas do Professor. Em seguida, à luz de fatos históricos e sociais, apresentamos as funções sociais dos nomes na atualidade e postulamos as possíveis origens dos sobrenomes, considerando o processo de colonização pelo qual passaram esses povos. Os resultados do estudo não abrangem a origem dos sobrenomes na sua individualidade, mas apresentam um panorama das condições históricas e sociais que puderam dar condições à existência dessa nova forma de nomear e de indicar pertencimento familiar entre os indígenas guarani e kaiowá do cone sul de Mato Grosso do Sul.  

Referências

Barata, Carlos Eduardo de Almeida. Cunha Bueno, Antônio Henrique. (2001) Dicionário das famílias brasileiras. São Paulo: Ibero-América.

Borvão, Delfino (Ava Apykava Verandyjuruá); Teixeira, Atanásio (Nhomoendyja); Conscianza, Roseli; Aquino, Valdomiro; Silva, Alda, Juca, Getulio. (2019). Diagrama Cosmológico. Dourados.

Brand, Antonio. (1997). O Impacto da Perda da Terra sobre a Tradição kaiowá/Guarani. Porto Alegre, PUC. Tese de doutorado, Programa de Pós-Graduação em História, PUC, Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

Cadógan, León. (1959). Ayvu Rapyta. São Paulo: USP.

Cavalcante, Thiago Leandro Vieira. (2013). Colonialismo, território e territorialidade: a luta pela terra dos Guarani e Kaiowá em Mato Grosso do Sul. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Estadual de São Paulo.

Chamorro, Graciela. (1994). Kurusu Ñe’ẽngatu ou palavras que a história não poderia esquecer. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Campus São Leopoldo, Rio Grande do Sul.

______. (2008). Terra Madura, Yvyraguyje: Fundamento da Palavra Guarani. Dourados, MS: Editora UFGD.

______. (2015). História Kaiowa. Das origens aos desafios contemporâneos. São Bernardo do Campo: Nhanduti Editora.

Concianza, Fábio. (2017). Antroponímia kaiowá: Téry Tee Tekoha Panambizinho-Py. Trabalho de Conclusão de Curso da Licenciatura Intercultural Indígena – Teko Arandu, área de Linguagens, Universidade Federal da Grande Dourados.

Franco Júnior, Hilário. (1987). As Cruzadas. São Paulo: Brasiliense.

Guzmán, Ruy Díaz. (1980). Anales del Descubrimiento, Población y Conquista del Río de la Plata. Ediciones Comuneros. Asunción.

Leite, Serafim. (1956). Cartas dos Primeiros Jesuítas do Brasil. Tipografia Atlântica: Coimbra.

Martins, Andérbio Márcio Silva, et al. (2018). Antroponímia Kaiowá. In: Maria Suelí de Aguiar; Maria Célia Dias de Castro; Ana Lourdes Cardoso Dias. (Org.). Onomástica e a identidade do homem. Goiânia: Editora Impressa Universitária, 339-400.

Martins, Andérbio Márcio Silva, et al. (2017). Antroponímia Kaiowá. In: Maria Suelí de Aguiar; Maria Célia Dias de Castro; Ana Lourdes Cardoso Dias. (Orgs.). Onomástica e identidade do homem em seu meio. Santarém-Portugal: Instituto Politécnico de Santarém / Escola Superior de Educação, 267-308.

Novinsky, Anita. (2007). A Inquisição. São Paulo: Brasiliense.

Pereira, Levi Marques. Os Kaiowá em Mato Grosso do Sul: módulos organizacionais e humanização do espaço habitado. Dourados-MS: Ed. UFGD, 2016.

Rodrigues, Aryon Dall’Igna. (1984-85). Relações internas na família lingüística Tupí-Guaraní. Revista de Antropologia, 27/28, p. 33-53. São Paulo.

Sousa, Neimar Machado. (2009). A Catequese Colonial Jesuítica entre os Índios Itatines. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de São Carlos.

Susnik, Branislava. (1979-1980) Los aborígenes del Paraguay II, Etnohistoria de los Guaranies. Época colonial. Asunción: Museo Etnográfico Andrés Barbero.

Downloads

Publicado

29-07-2020

Como Citar

SILVA MARTINS, A. M.; MACHADO DE SOUSA, N.; CATÃO, H. V.; CONSCIANZA, F. Nomes e sobrenomes dos guarani e kaiowá de Mato Grosso do Sul. Onomástica desde América Latina, [S. l.], v. 1, n. 2, p. 45–66, 2020. DOI: 10.48075/odal.v1i2.25490. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/onomastica/article/view/25490. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos