Ditadura e patriarcado: um olhar para a personagem Inês, de Tânia Jamardo Faillace

Autores

Palavras-chave:

Tânia Jamardo Faillace, Resistência feminina, Ditadura militar, Patriarcado.

Resumo


Com o intuito de analisar a resistência feminina, característica marcante das personagens que compõem as obras de Tânia Jamardo Faillace, o presente artigo pretende investigar a composição da personagem Inês, protagonista do conto “O 35º Ano de Inês”, levando em consideração o contexto histórico no qual tanto a personagem quanto a autora estão inseridas. Diante da ascensão da ditadura militar e perante uma sociedade marcada por um discurso predominantemente masculino, a análise pretende demonstrar como Inês resiste mesmo em meio a um ambiente repressor, além de observar como Faillace retrata tais assuntos como pano de fundo em suas escritas, principalmente as influências do patriarcado presente durante todo o enredo do conto. Inseridas na década de 70, ambas, autora e personagem, nos expõem à resistência feminina, que transgride as barreiras da opressão e demarca seu lugar na sociedade. Por mais que suas atitudes gerem consequências, elas assumem o risco de permitirem-se ser como são e o direito de pertencerem a si mesmas. Subvertem o sistema do qual pertencem, rompendo com a barreira do que era até então fortemente negado às mulheres, o direito de ser e estar no mundo enquanto indivíduo de uma sociedade civil. A pesquisa é de viés bibliográfico, com foco no contexto histórico da escritora, tomado aqui como uma significativa influência em seus escritos, além de pesquisas voltadas para a vida pessoal de Faillace.

Biografia do Autor

Glesyane Lopes Reis do Nascimento, Universidade Federal da Grande Dourados, UFGD, Brasil.

Acadêmica do curso de Letras Licenciatura, na modalidade Português/Literatura, pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Foi bolsista de Iniciação Científica pelo CNPq, de agosto de 2018 à agosto de 2019, sendo orientada pela professora Dra. Alexandra Santos Pinheiro, em que realizava pesquisas no âmbito da escrita feminina, com enfoque nos escritos da autora e jornalista Tânia Jamardo Faillace. Sendo também, bolsista no Programa de Educação Tutorial do curso de Letras (PetLetras). Atualmente realiza, voluntariamente, pesquisas voltadas para escrita feminina com foco na Literatura Lésbica, ainda orientada pela professora Dra. Alexandra Santos Pinheiro.

Alexandra Santos Pinheiro, Universidade Federal da Grande Dourados, UFGD, Brasil.

Eu, Alexandra Santos Pinheiro, sou professora desde 1996, quando me formei no magistério. Quatro anos depois, me graduei em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, na cidade de Assis. Na Unesp, também obtive meu título de mestra em Letras-Literatura, em 2002. Em busca de novas leituras e desafios, cursei meu doutorado em Teoria e História Literária na Universidade Estadual de Campinas e defendi minha tese em 2007. Estudar e dar aula são as ações que motivam a minha vida. Assim, depois de lecionar na rede pública de São Paulo e em universidades particulares, iniciei minha carreira como professora concursada em 2003, na UNIOESTE-Francisco Beltrão-Paraná. Foram anos que me formaram no respeito à diversidade e aos movimentos sociais. Em 2008, assumi o concurso na UFGD e, desde então, minha atuação em programas como PIBID, PET e Projovem-Campo me possibilitam tecer os laços com a Educação Básica, ressignificando constantemente os sentidos de ser formadora de professores(as). Minhas pesquisas me levam a integrar os grupos de pesquisa NÚCLEO DE ESTUDOS LITERÁRIOS E CULTURAIS - Da UFGD, e do grupo POÉTICAS DO IMAGINÁRIO E MEMÓRIA- UNIOESTE e a "A Cátedra ?Diversidade Cultural, Gênero e Fronteiras?. Na UFGD, Leciono na graduação e no programa de pós-graduação em Letras. Em ambos os espaços, as temáticas que envolvem minhas ações de pesquisa e de extensão se fazem presentes: Literatura e gênero; História da Leitura e Ensino da Literatura. O desejo por aprender com os livros e com as pessoas me motivaram a realizar dois estágios de pós-doutorado. O primeiro foi na Universidad de Jaén (2012-2013), com bolsa Capes, e o segundo foi na Universidad de Salamanca (2018-2019), sem apoio dos órgãos de fomento. Por fim, Literatura, estudantes, leitura e a esperança de um Brasil justo e igualitário norteiam minha atuação como profissional das Letras.

Referências

FAILLACE, Tânia Jamardo. O 35º ano de Inês. In: O 35º ano de Inês. 2ed. Rio Grande do Sul: Editora Movimento, 1975, p. 6-42.

FAILLACE, Tânia Jamardo. Autores Gaúchos: Tânia Jamardo Faillace. 1ed. Porto Alegre: IEL, 1988. v. 17.

FAILLACE, Tânia Jamardo. Tradição, Família e Outras Estórias. 1ed. São Paulo: Ática, 1978.

FERREIRA, Jorge; GOMES, Angela de Castro. 1964: O golpe que derrubou um presidente, pôs fim ao regime democrático e instituiu a ditadura no Brasil. 1ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

KUCINSKI, Bernado; TRONCA, Ítalo. Pau de Arara: A violência militar no Brasil. 1ed. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2013.

LUFT, Lya. Pensar é transgredir. 14º ed. Rio de Janeiro: Record, 2009.

PATEMAN, Carole. O Contrato Sexual. Tradução de Marta Avancini. 1ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993.

POLESSO, Natalia Borges. As Relações de Poder e o Espaço Urbano Como Região nos Contos de Tânia Jamardo Faillace. 2011. 101 f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Programa de Pós-Graduação em Letras. Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul.

REIS, Daniel A; RIDENTI, Marcelo; MOTTA, Rodrigo P. S. A Ditadura Que Mudou o Brasil. 1ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.

SAFFIOTI, Heleieth I. B. Contribuições feministas para o estudo da violência de gênero. Cadernos Pagu – desdobramentos do feminismo. Campinas, SP, n. 16, p. 115-136, ago. 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cpa/n16/n16a07.pdf. Acesso em: 14 abr. 2019.

SAFFIOTI, Heleieth I. B. Gênero, Patriarcado, Violência. 1ed. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2004.

Downloads

Publicado

26-12-2019

Como Citar

NASCIMENTO, G. L. R. do; PINHEIRO, A. S. Ditadura e patriarcado: um olhar para a personagem Inês, de Tânia Jamardo Faillace. Travessias, Cascavel, v. 13, n. 3, p. 173–187, 2019. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/22371. Acesso em: 22 maio. 2022.

Edição

Seção

LITERÁRIA