A identidade negra no Programa Nacional do Livro Didático de Língua Inglesa de 2018

Autores

Palavras-chave:

PNLD, raça, programa nacional do livro didático, Língua Inglesa.

Resumo


O Brasil é um país conhecido pela sua rica diversidade étnica, cultural e racial, composto predominantemente por pessoas negras que, contraditoriamente, são minoria em direitos e acesso a diversos espaços. Diante dessa realidade, esta pesquisa responde às seguintes perguntas: Como são utilizadas as nomenclaturas referentes às relações étnico-raciais no PNLD de Língua Inglesa 2018? Como se dá a construção da identidade racial negra no documento do PNLD de Língua Inglesa 2018? Para tanto, a fim de definirmos termos como raça, etnia, identidade, racismo, preconceito, estereótipo e democracia racial, além de tornar possíveis a busca e a interpretação dessas palavras ao longo do PNLD de Língua Inglesa (BRASIL, 2017), foram utilizados os seguintes referenciais teóricos: Gomes (2005), Munanga (2003) e Hall (1990 e 1997). Com alguns pressupostos da Análise Crítica do Discurso (ACD), com o suporte teórico de Fairclough (1999) e Van Dijk (1993; 2015), este trabalho consiste em uma pesquisa qualitativa-interpretativista em busca das acepções dadas a termos comuns nas relações étnico-raciais no Guia do Programa Nacional do Livro Didático de Língua Inglesa de 2018 (BRASIL, 2017). Como resultado, foi possível observar que o documento não trata das relações étnico-raciais de maneira incisiva; logo, poderia ser mais enfático. Isso foi perceptível tanto pela baixa incidência dos termos relacionados à identidade negra quanto pela forma indeterminada que eles aparecem no texto. É possível concluir que há uma necessidade de que a terminologia no PNLD de Língua Inglesa seja utilizada com maior ênfase para que, de fato, possa ser melhor implementado.

Biografia do Autor

Luara Real, UEPG - Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Graduada em Letras Português/Inglês pela UEPG, no Departamento de Estudos da Linguagem.

Aparecida de Jesus Ferreira, UEPG - Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Possui Pós doutorado (2015), e doutorado em Educação de Professores e Linguística Aplicada - Universidade de Londres - Inglaterra (2005), mestrado em Linguística pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2001) e graduação em Letras Português Inglês pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (1990). Atualmente é professora associada da UEPG - Universidade Estadual de Ponta Grossa. Atuando no curso Letras graduação (Língua Inglesa, Prática de Ensino) e no Mestrado em Estudos da Linguagem na mesma instituição. Já publicou quatorze livros no Brasil. Publicou também um livro nos Estados Unidos. Tem vários artigos publicados em livros e periódicos científicos, no Brasil, Inglaterra, Estados Unidos, Angola, Portugal, Colômbia e Espanha. Tem experiência na área de Linguística Aplicada, com ênfase em Formação de Professores, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores (Línguas Adicionais e Língua Portuguesa), prática de ensino de língua inglesa, ensino e aprendizagem de línguas adicionnais, análise e desenvolvimento de materiais de ensino, análise de livro didático, letramentos escolares, e os processos de construção de identidades sociais de professores de línguas, e de identidades sociais raça e gênero. É parecerista de vários periódicos. Foi, pesquisadora visitante pelo King's College London - Universidade de Londres, Inglaterra (2014-2015).

Referências

BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, N.; PASQUINO, G. Dicionário de Política I. 11.ed. Trad. Carmen C, Varriale et al.; coord. trad. João Ferreira; rev. geral João Ferreira e Luis Guerreiro Pinto Cacais. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. LDB – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira – Lei nº 9394 de 20 de Dezembro de 1996. São Paulo: Editora Saraiva, 1996.

BRASIL. Lei nº 10.639, 09 de janeiro de 2003. Inclui a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira” no currículo oficial da rede de ensino. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 10 jan. 2003, seção 1, p. 1. Disponível em: <https://www.jusbrasil.com.br/diarios/418044/pg-1-secao-1-diario-oficial-da-uniao-dou-de-10-01-2003/pdfView>. Acesso em: 28 set. 2018

BRASIL. Censo IBGE 2010. 2010. Disponível em: <http://censo2010.ibge.gov.br/>. Acesso em: 10. dez. 2018

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para Educação Básica. Brasília, DF: MEC, 2013. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/docman/julho-2013-pdf/13677-diretrizes-educacao-basica-2013-pdf/file>.

BRASIL. Ministério da Educação. Ministério da Educação. PNLD 2018: inglês - guia de livros didáticos - ensino médio. Brasília/DF, Secretaria de Educação Básica, 2017.

CLARA, Michele Padilha Santa. Vozes de alunas e professora acerca das identidades sociais de gênero com intersecção de raça e de classe no livro didático de língua inglesa e letramento crítico. Dissertação (Mestrado em Linguagem, Identidade e Subjetividade). Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Ponta Grossa – PR, 2017.

FAIRCLOUGH, Norman. Global Capitalism and Critical Awareness of Language. Language Awareness, v. 8, n. 2, p.71-83,1999.

FERREIRA, Aparecida de Jesus (Org.) As políticas do livro didático e identidades sociais de raça, gênero, sexualidade e classe em livros didáticos. Campinas, SP: Pontes Editores, 2014.

FERREIRA, Aparecida de Jesus. Social Identities Of Black Females In English Language Textbooks Used In Brazil And Cameroon: Intersectionalities Of Race, Gender, Social Class And Critical Racial Literacy. Revista X, v. 14, n. 4, p. 20-40, 2019.

FONSECA, Fernanda Araújo; MIGUEL, Leonardo. Análise crítica do discurso: Um olhar sobre a representação da etnia em livros didáticos de língua inglesa. Revista de Letras, Curitiba/PR, v. 20, n. 28, p.37-53, mar. 2018.

FRANCO, Claudio; TAVARES, Kátia. Way to go!. 2. ed. São Paulo: Editora Ática. 2016.

GOMES, Nilma Lino. Alguns termos e conceitos presentes no debate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discussão. In: BRASIL. Educação Anti-racista: caminhos abertos pela Lei federal nº 10.639/03. Brasília/DF, MEC, Secretaria de educação continuada e alfabetização e diversidade, 2005, p. 39-62.

HALL, Stuart. Cultural identity and diaspora. In: RUTHERFORD, J. (Org.). Identity. Londres: Lawrence and Wishart, 1990, p. 222-237.

HALL, Stuart. The spectacle of the “Other”. In: HALL, S.; EVANS, J.; NIXON, S. (Orgs.). Representation: cultural representations and signifying practices. Londres: Sage, 1997, p. 225-279.

JORGE, Miriam Lúcia dos Santos. Livros didáticos de línguas estrangeiras: construindo identidades positivas. In: FERREIRA, Aparecida de Jesus (Org.) As políticas do livro didático e identidades sociais de raça, gênero, sexualidade e classe em livros didáticos. Campinas, SP: Pontes Editores, 2014, p.73-90.

MARQUES, Amadeu; CARDOSO, Ana Carolina. Learn and Share in English. São Paulo: Ática. 2016.

MUNANGA, Kabengele. Uma Abordagem Conceitual das Noções de Raça, Racismo, Identidade e Etnia*. Anais...3º Seminário Nacional Relações Raciais e Educação – PENESB-RJ, 05/11/2003. Disponível em: <https://www.geledes.org.br/wp-content/uploads/2014/04/Uma-abordagem-conceitual-das-nocoes-de-raca-racismo-dentidade-e-etnia.pdf>. Acesso em: 06 out. 2018.

SILVA, Paulo Vinícius Baptista; TEIXEIRA, Rozana; PACÍFICO, Tânia Mara. Programas de distribuição de livros e hierarquias raciais: o que dizem os alunos negros/as. In: FERREIRA, Aparecida de Jesus (Org.). As políticas do livro didático e identidades sociais de raça, gênero, sexualidade e classe em livros didáticos. Campinas, SP: Pontes Editores, 2014, p. 23-46.

SMITH, Alessandra Melo. Mudanças e/ou permanências: relações étnico-raciais no livro didático de língua inglesa. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada)—Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

TÍLIO, Rogério; SOUTO JUNIOR, Elio Marques de. Gênero e sexualidade em livros didáticos: impactos da avaliação do PNLD. In: FERREIRA, Aparecida de Jesus (Org.) As políticas do livro didático e identidades sociais de raça, gênero, sexualidade e classe em livros didáticos. Campinas, SP: Pontes Editores, 2014, p.47-72.

TÍILIO, Rogério. (Org.). Voices plus. São Paulo: Richmond, 2016.

VAN DIJK, Teun A. Critical Discourse Analysis. The Handbook Of Discourse Analysis. v. 2. p. 476-484, 2015.

VAN DIJK, Teun A. Principles of critical discourse analysis. Discourse & Society, v. 4, n. 2, p.2 49-283,1993.

Downloads

Publicado

26-12-2019

Como Citar

REAL, L.; FERREIRA, A. de J. A identidade negra no Programa Nacional do Livro Didático de Língua Inglesa de 2018. Travessias, Cascavel, v. 13, n. 3, p. 35–53, 2019. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/23602. Acesso em: 22 maio. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEMÁTICO: Identidades sociais de raça em livros didáticos e narrativas autobiográficas