INTERRELAÇÃO ENTRE AS ABORDAGENS DA NOVA ECONOMIA INSTITUCIONAL E DA TEORIA DE CRESCIMENTO ENDÓGENO SOBRE A QUESTÃO DO CAPITAL HUMANO

Edileuza Vital Galeano

Resumo


Este artigo trata de crescimento econômico e instituições como teorias que podem estar relacionadas. Para North

(1994). as instituições são importantes para estimular a absorção de tecnologia através do processo de aprendizagem,

e também através da garantia dos direitos de propriedade. Assim, garantir o direito de propriedade intelectual também

favorece o crescimento. Para Romer (1993), o capital humano é a fonte do crescimento econômico, pois gera novas idéias

e inovações as quais permitem crescentes retornos de escala. Dessa forma, educar as pessoas, subsidiar pesquisas, importar

idéias do exterior, poderiam promover o crescimento. Entretanto, os países subdesenvolvidos enfrentam vários

problemas de ordem social e institucional, os quais os impedem de se beneficiarem dos rendimentos crescentes

das novas tecnologias. O objetivo deste artigo é mostrar que apesar de todo desenvolvimento das abordagens sobre capital

humano, instituições e crescimento, existe ainda uma lacuna entre as diferentes abordagens teóricas no que se refere ao capitai humano como propulsor do crescimento econômico.


Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista Faz Ciência


ISSN 1677-0439 (versão impressa) – ISSN 1983-148X (versão eletrônica)

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Campus de Francisco Beltrão

Rua Maringá, 1200 - Bairro Vila Nova

Francisco Beltrão – Paraná - CEP: 85605-010

revista.fazciencia@unioeste.br |