Prática educativa de professores de educação física e os conteúdos abordados em uma escola da rede municipal de ensino de Florianópolis

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36453/cefe.2021.n3.27456

Palavras-chave:

Educação Física, Prática Educativa, Cultura Corporal de Movimento

Resumo


OBJETIVO: Compreender a prática educativa e quais os conteúdos abordados por três professores de Educação Física em uma escola da Rede Municipal de Ensino de Florianópolis-SC. 

MÉTODOS: Como abordagem teórico-metodológica adotamos a pesquisa exploratória de caráter qualitativo na forma de análise de conteúdo por meio da triangulação de dados. Foi caracterizado como um estudo de campo e como instrumentos de coleta de dados utilizou-se o diário de campo, a observação participante e os diálogos informais. A pesquisa foi realizada em uma escola do município de Florianópolis-SC. Como sujeitos da pesquisa participaram de forma voluntária três professores de Educação Física. 
CONCLUSÃO: Conclui-se que os conteúdos predominantes entre os professores foram os esportes, os jogos e as brincadeiras e as práticas corporais na natureza. Ao fim do estudo foi possível compreender que as práticas educativas se diferem de sujeito para sujeito, mesmo estando em uma mesma escola, e que os conteúdos em alguns momentos se repetem, mas são abordados de maneiras distintas a partir da perspectiva de Educação Física de cada professor, a qual transitou pelo conceito da cultura corporal de movimento, do desenvolvimento motor e da prática de atividade física e esportiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vitor Silva Gonçalves, Prefeitura Municipal de Florianópolis, Florianópolis

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na linha de Sociologia e História da Educação, professor da Rede Municipal de Ensino de Florianópolis e membro do Núcleo de Estudos Pedagógicos em Educação Física (NEPEF) e do Grupo de Pesquisa e Estudos em Prática Educativa, Identidade Docente e Cultura Escolar.

Leonardo da Fonseca Rocha, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis

Graduando no curso de Licenciatura em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente é bolsista no Programa Institucional de Bolsas de Estágio atuando no Colégio de Aplicação com sextos e nono ano do Ensino Fundamental. Membro do Núcleo de Estudos Pedagógicos em Educação Física e Grupo de Estudos e Pesquisa em Prática Educativa, Identidade Docente e Cultura Escolar (NEPEF/GEPPICE). Atua principalmente nas seguintes temáticas de investigação: trabalho docente, identidade docente, cultura escolar, prática educativa e objetos de ensino em Educação Física Escolar.

 

Sérgio de Oliveira Júnior, Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina (SED-SC), Florianópolis

Possui graduação em Educação Física pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (2016) e mestrado em Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UFSC pela Universidade Federal de Santa Catarina (2019). Atualmente é professor de educação física - Secretaria de Educação do Estado de Santa Catarina. Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Educação Física, atuando principalmente nos seguintes temas: trabalho docente, professor iniciantes e professor de educação física.

Victor Julierme Santos da Conceição, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis

Possui graduação em Educação Física Licenciatura Plena pela Universidade Federal de Santa Maria (2002), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (2006) e doutorado em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2014). Atualmente é professor com dedicação exclusiva na Universidade Federal de Santa Catarina, atuando no Colégio de Aplicação e no Programa de Pós Graduação em Educação. Tem experiência na área de Educação Física escolar e se dedica a pesquisar os seguintes tópicos de investigação: Cultura escolar, Identidade docente, Socialização profissional.

Francisco Emílio de Medeiros, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis

Doutor em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina (2011). Mestre em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas (1999). Especialização em Educação Física Escolar pela Universidade Federal de Santa Catarina (1993). Licenciatura em Educação Física pela Universidade Federal de Pernambuco (1989). Professor da Rede de Ensino Público da Prefeitura Municipal de Florianópolis (1993 a 2013). Desde 2013 é professor no Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Santa Catarina. Atua principalmente nas seguintes temáticas de conhecimento: Educação Física escolar; Educação Física na Educação Infantil; Memória da Cultura Lúdica de Infância; Metodologias de Ensino em Educação Física; e Estágios de Aprendizagem da Docência em Educação Física. Membro do LABPHYSIS - Laboratório Physis de Pesquisa em Educação Física, Sociedade e Natureza; integrante do GEPPICE - Grupo de Estudos e Pesquisas em Prática Educativa, Identidade Docente e Cultura Escolar; e atual coordenador do NEPEF - Núcleo de Estudos e Pesquisa em Educação Física

Referências

APPLE, M. W. Trabalho docente e textos: economia política das relações de classe e de gênero em educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

BASSI, M. E. Rede municipal de ensino de Florianópolis: financiamento e condições de qualidade. Atos de Pesquisa em Educação, Blumenau, v. 11, n. 1, p. 114, 2016.

BRACHT, V. Educação Física no 1º grau: conhecimento e especificidade. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, v. 10, n. 4, p. 23-8, 1996.

BRASIL. Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF: Presidência da República, 1996. Disponível em: <https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1996/lei-9394-20-dezembro-1996-362578-publicacaooriginal-1-pl.html>. Acessado em: 21 de fevereiro de 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. CNE/CEB. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília, 1999. <http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/diretrizescurriculares_2012.pdf>. Acessado em: 12 de maio de 2021.

CASTELLANI FILHO, L. Política educacional e educação física. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 1998.

COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do ensino de educação física. São Paulo: Cortez, 1992.

CONTRERAS, J. A autonomia de professores. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

FENSTERSEIFER, P. E.; GONZÁLEZ, F. J. Educação física escolar: a difícil e incontornável relação teoria e prática. Motrivivência, Florianópolis, v. 1, n. 28, p. 27-37, 2007.

FLORIANÓPOLIS. Proposta Curricular da Rede Municipal de Ensino de Florianópolis. Florianópolis: Prefeitura de Florianópolis. Secretaria de Educação. 2016. Disponível em: <https://www.pmf.sc.gov.br/arquivos/arquivos/pdf/23_06_2017_11.13.21.b097b0d2d26af5819c89e809f8f527a2.pdf>. Acessado em: 8 de maio de 2021..

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 43. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GIROUX, H. Os professores como intelectuais transformadores: rumo a uma nova pedagogia crítica de aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

GORZONI, S. de P.; DAVIS, C. O conceito de profissionalidade docente nos estudos mais recentes. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 47, n. 166, p. 1396-1413, 2017

JULIA, D. A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, Maringá, v. 1, p. 9-43, 2001.

LOURENÇO, B. A. O diálogo como instrumento de obtenção de informação na pesquisa: discussões a partir de um estudo etnográfico. In: MOLINA NETO, V.; BOSSLE, F. (Orgs.). O ofício de ensinar e pesquisar na educação física escolar. Porto Alegre: Sulina, 2010. p. 55-75.

MACEDO, R. S. Etnopesquisa crítica, etnopesquisa–formação. 2. ed. Brasília: Liber Livro, 2010.

MARQUES, E. de S. A.; CARVALHO, M. V. C. de. O significado histórico de práticas educativas: um movimento que vai do clássico ao contemporâneo. Linguagens, Educação e Sociedade, Teresina, v. 35, n. 21, p. 122-42, 2016.

MORIN, E. O método 4: as ideias, habitat, vida, costumes, organização. 6. ed. Porto Alegre: Sulina, 2011.

PÉREZ GÓMEZ, Á. I. A cultura escolar na sociedade neoliberal. Porto Alegre: Artmed, 2001.

TRIVIÑOS, A. N. da S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

WITTIZORECKI, E. S.; BOSSLE, F.; OLIVEIRA E SILVA, L.; GÜNTHER, M. C. C.; SANTOS, M. V. dos; SANCHOTENE, M. U.; … ; MOLINA NETO, V. Pesquisar exige interrogar-se: a narrativa como estratégia de pesquisa e de formação do(a) pesquisador(a). Movimento, Porto Alegre, v. 12, n. 2, p. 9-33, 2006.

Downloads

Publicado

01.12.2021

Como Citar

GONÇALVES, V. S.; ROCHA, L. da F.; JÚNIOR, S. de O.; CONCEIÇÃO, V. J. S. da; DE MEDEIROS, F. E. Prática educativa de professores de educação física e os conteúdos abordados em uma escola da rede municipal de ensino de Florianópolis. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 19, n. 3, p. 109–115, 2021. DOI: 10.36453/cefe.2021.n3.27456. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/27456. Acesso em: 22 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Educação Física Escolar: desafios e possibilidades na atualidade