Etnicidade e reelaboração do nós: a contínua construção do ser Guarani

Sarah Iurkiv Gomes Tibes Ribeiro

Resumo

A proposição deste artigo é abordar situações de contato interétnico específicas entre os Guarani no Oeste, núncios de Itaipu e segmentos diversos da sociedade nacional, analisando o processo indígena de internalização/elaboração/adaptação de ingerências externas. A ênfase da reflexão está centrada no acirramento das interferências alógenas sobre a sociedade originária decorrente da instalação de Itaipu Binacional no Oeste do Paraná, aguçando-se, em contrapartida, os mecanismos de resistência do povo indígena, pautados em seu mundo de significações. Desta forma, os indígenas interagem com a diversidade de segmentos da sociedade nacional que se sucedem na região, persistindo cada vez mais cientes de sua auto-identificação étnica, não obstante sua vida em sociedade tenha sofrido transformações, tanto no fazer como no representar social. É o que se entende por auto-alteração.

Palavras-chave

Contatos; Guarani no Oeste; auto-identificação; autoalteração

Texto completo:

PDF