ANÁLISE FÍSICO-QUIMICO DO SOLO DA ÁREA DE CONTAMINAÇÃO DO ARROIO DOURADO, EM FOZ DO IGUAÇU

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/ijerrs.v3i2.26419

Palavras-chave:

Lixão. Poluição. Metais pesados. Solo.

Resumo


O estudo foi conduzido com o objetivo de analisar a qualidade do solo que se encontra na área do antigo lixão já desativado, conhecido como “Arroio Dourado”, localizado na região oeste do Paraná em Foz do Iguaçu. Com a desativação do lixão na década de 90, sem a devida recuperação da área degradada, e consequentemente com a expansão urbana na cidade, diversas famílias carentes estabeleceram residência nessa região, seja por falta de emprego ou moradia adequada. As condições da área do antigo lixão é motivo de diversas disputas judiciais entre moradores e poder público, sendo este estudo essencial para o esclarecimento das condições quanto à qualidade do solo na região. A pesquisa tomou como partida a problemática socioambiental e dos riscos a saúde humana, relacionados ao contato com metais pesados proveniente dos resíduos que estão depositados na área. O estudo concluiu que a análise de solo no antigo lixão apresentou concentrações de 10,83 mg.kg-1 de chumbo, 107 mg.kg-1 de cromo e 6,14 mg.kg-1 de níquel em amostra de solo composta, estes valores encontram-se acima da recomendação nacional conforme Resolução Conama nº 420/2009 e de outros parâmetros internacionais, definindo o local como um ambiente insalubre, que pode gerar consequências negativas a saúde humana e ao meio ambiente. 

Biografia do Autor

Robson Oliveira, UniAmérica

Graduando em Engenharia Ambiental pelo Centro Universitário Uniamérica, Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil   

Kleber Gomes Ramirez, UniAmérica

Docente/Uniamérica.     

Macarius Di Lauro, PMFI

Biólogo. Pedagogo. Mestre em Engenharia de Energia na Agricultura pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste). Professor na rede municipal de ensino em Foz do Iguaçu.  

Referências

ABRELPE. Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil. Abrelpe, 2019. Disponível em: http://abrelpe.org.br/download-panorama-2018-2019/. Acesso em: 27 nov. 2020.

ANTÔNIO, Adilson. Propriedades de solo II – Textura, cor e porosidade. E-tec Brasil. Disponível em: http://proedu.rnp.br/bitstream/handle/123456789/586/Aula_03.pdf?sequence=3&isAllowed=y Acesso em: 27 nov. 2020.

ARAUJO, João; FILHO, Jorge. Identificação de fontes poluidoras de metais pesados nos solos da bacia hidrográfica do rio Apodi-Mossoró/RN, na área urbana de Mossoró-RN. Revista Verde, 2010. Disponível: https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/7450211.pdf. Acesso em: 27 nov. 2020.

BALESTRA, Carlos; LORENCE, Alcione. Identificação da pluma de gás metano no subsolo do lixão arroio dourado – estudo de caso. Foz do Iguaçu: CONTECC, 2016. Disponível em: http://confea.org.br/sites/default/files/uploads-imce/contecc2016/civil/identifica%C3%A7%C3%A3o%20da%20pluma%20de%20g%C3%A1s%20metano%20no%20subsolo%20do%20lix%C3%A3o%20arroio%20dourado%20%E2%80%93%20estudo%20de%20caso.pdf. Acesso em: 27 nov. 2020.

BOEIRA, Luis; DOMINGOS, Diego. Gerenciamento de resíduos sólidos urbanos domiciliares. Florianópolis: GeAS, 2015. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=5294220. Acesso em: 27 nov. 2020.

BORGES, Monica. Determinação de Cd, Cu e Zn em latossolo vermelho submetido a diferentes sistemas na região dos Chapadões-MS. UFMS, 2014. Disponível em: https://ppgagronomiacpcs.ufms.br/files/2018/01/Disserta%C3%A7%C3%A3o_Monica-Cristina-Rezende-Zuffo-Borges.pdf. Acesso em: 27 nov. 2020.

BRASIL, Lei Nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei Nº 9.605 de 12 de fevereiro de 1998, e dá outras providências. Brasília, DF, 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm. Acesso em: 27 nov. 2020.

BRASIL, Resolução CONAMA Nº 420, de 28 de dezembro de 2009. Dispõe sobre critérios e valores orientadores de qualidade do solo quanto à presença de substâncias químicas e estabelece diretrizes para o gerenciamento ambiental de áreas contaminadas por essas substâncias em decorrência de atividades antrópicas. Brasília, DF, 2009. Disponível em: http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=620. Acesso em 28 nov. 2020.

DIAS, N; ALLEONI, L; CASAGRANDE, J; CAMARGO, O. Adsorção de cádmio em dois latossolos ácricos e um nitossolo. RBCS, 2001. Disponível em: https://www.rbcsjournal.org/wp-content/uploads/articles_xml/0100-0683-rbcs-S0100-06832001000200006/0100-0683-rbcs-S0100-06832001000200006.pdf. Acesso em: 28 nov. 2020

DUARTE, Rogéria; PASQUAL, Antenor. Avaliação do cádmio (Cd), Chumbo (Pb), Níquel (Ni) e Zinco (Zn) em solos, plantas e cabelos humanos. Botucatu: FCA/USESP, 2000. Disponível em: http://files.engenharia-ambiental.webnode.com/200000032-7ec0c7fba6/AVALIA%C3%87%C3%83O%20DO%20C%C3%81DMIO-CHUMBO-N%C3%8DQUEL%20E%20ZINCO%20EM%20SOLOS%20PLANTAS%20E%20CABELOS%20HUMANOS.pdf. Acesso em: 27 nov. 2020.

FREITAS, Tânia. O cromo na indústria de curtumes de Mato Grosso do Sul, Brasil: Aspectos ecológicos. Brasília: Faculdade de Ciências da Saúde: 2006. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/2545. Acesso em: 27 nov. 2020.

FRIGO, Juliana. Educação Ambiental e Construção Civil: Práticas de Gestão de Resíduos em Foz do Iguaçu-PR. Santa Maria: UFSM, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/16230/TCCE_EA_EaD_2011_FRIGO_JULIANA.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso: 27 nov. 2020.

GANDOLLA, Mauro; FEREIRA, João; MANNARINO, Camille. Contribuições para a evolução do gerenciamento de resíduos sólidos urbanos no Brasil com base na experiência Europeia. Scielo, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/esa/v21n2/1809-4457-esa-S1413_41522016146475.pdf. Acesso em: 27 nov. 2020.

HELENE, Lívia; MOREIRA, Cézar. Diagnóstico ambiental de solo contaminado por cromo de curtume em Motuca (SP) por métodos geofísicos. UNESP, 2016. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/139516/helene_lpi_me_rcla.pdf?sequence=3&isAllowed=y. Acesso em 28 nov. 2020.

MAMEDES, Ingrid. Influência Da Disposição Inadequada De Resíduos Sólidos Urbanos Sobre O Solo: Estudo De Caso Do Lixão De Várzea Grande-MT. V.5, n.2. Florianópolis: RG&SA, 2016. Disponível em: http://portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/gestao_ambiental/article/view/3285/2807. Acesso em: 28 nov. 2020.

MARCHI, Cristina. Cenário Mundial dos Resíduos Sólidos e o Comportamento Corporativo Brasileiro Frente à Logística Reversa. Salvador: Perspectivas em Gestão & Conhecimento, 2011. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=4262882. Acesso em: 27 nov. 2020.

MILHOME, L.; HOLANDA, B.; DE ARAÚJO NETO, R.; DO NASCIMENTO F. Diagnóstico a contaminação do solo por metais tóxicos provenientes de resíduos sólidos urbanos e a influência da matéria orgânica. RVQ, 2018. Disponível em: http://static.sites.sbq.org.br/rvq.sbq.org.br/pdf/v10n1a07.pdf. Acesso em 30 nov. 2020.

MONTANO, Marco; JUNIOR, Stanislau; SCHIFER, Tiago. Aspectos Toxicológicos do Chumbo. Rio Grande do Sul: UNIJUÍ, 2005 Disponível em: http://farmaceuticos.org.br/sistemas/geral/revista/pdf/18/chumbo.pdf. Acesso em: 28 nov. 2020.

NAVA, Ivair André et al. Disponibilidade dos metais pesados tóxicos cádmio, chumbo e cromo no solo e tecido foliar da soja adubada com diferentes fontes de NPK+Zn. Ciênc. agrotec., Lavras, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-70542011000500004&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 28 nov. 2020.

REICHERT, José; REINERT, Dalvan. Propriedades física do solo. Santa maria: UFSM, 2006. Disponível em: https://sites.google.com/site/rodrigojsj/propriedadesfisicas.pdf Acesso em. 28 nov. 2020.

ROCHA, Ferreira. Cádmio, Chumbo, Mercúrio – A problemática destes metais pesados na Saúde Pública? Porto: FENAUP, 2009. Disponível em:

https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/54676/4/127311_0925TCD25.pdf. Acesso em: 28 nov. 2020.

SILVA, Thaís. Indicadores da qualidade de solo na avaliação da condição ambiental de área de lixão desativado em ouro fino – MG. Itajubá: INIFEI, 2019. Disponível em: https://repositorio.unifei.edu.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/1934/dissertacao_2019053.pdf?sequence=3&isAllowed=y. Acesso em: 28 nov. 2020.

TÓTH, Gergely; HERMANN, T; DA SILVA, M.R.; MONTANARELLA, L. Heavy metals in agricultural soils of the European Union with implications for food safety. ScienceDirect, 2016. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0160412015301203. Acesso 28 nov. 2020.

VARDHAN, Kilaru; KUMAR, Ponnusamy; PANDA, Rames. A review on heavy metal pollution, toxicity and remedial measures: Current trends and future perpectives. ScienceDirect, 2019. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0167732219317684. Acesso em 30 nov. 2020.

Downloads

Publicado

27-09-2021

Como Citar

OLIVEIRA, R.; RAMIREZ, K. G.; LAURO, M. D. ANÁLISE FÍSICO-QUIMICO DO SOLO DA ÁREA DE CONTAMINAÇÃO DO ARROIO DOURADO, EM FOZ DO IGUAÇU. International Journal of Environmental Resilience Research and Science, [S. l.], v. 3, n. 2, 2021. DOI: 10.48075/ijerrs.v3i2.26419. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/ijerrs/article/view/26419. Acesso em: 28 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos