ÁREAS PERMEÁVEIS E O USO SUSTENTAVEL DE RECURSOS HIDRÍCOS EM CASCAVEL, PARANÁ, BRASIL.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/ijerrs.v3i2.26458

Palavras-chave:

Impermeabilização. Áreas de proteção. Recursos hídricos. Perímetro urbano.

Resumo


Resumo: A água é um recurso essencial para a sobrevivência e desenvolvimento econômico. Entretanto, o cenário atual é preocupante em relação à segurança hídrica especialmente em áreas urbanas em função da alta demanda, elevada impermeabilização do solo e lixiviação de poluentes. Nesse contexto, o objetivo desse trabalho foi mapear os corpos hídricos presentes dentro do perímetro urbano da cidade de Cascavel e avaliar as proporções de áreas permeáveis e impermeáveis. Para calcular o uso do solo foi utilizado o software de geoprocessamento QGIS. Cascavel abrange três grandes bacias hidrográficas paranaenses (Piquiri, Ivai e Paraná III) e conta com quatro rios e seis córregos dentro dos limites urbanos, o qual possui uso do solo predominantemente impermeável (82,5 km2). As áreas permeáveis (17,1 km2) se encontraram associadas a parques e áreas de vegetação ciliar, onde a bacia do rio Cascavel se destacou por possuir grande área de vegetação. O rio Cascavel é o principal manancial de abastecimento urbano e devido a elevada demanda de água e condições climáticas adversas, o município tem enfrentado grave crise hídrica. Medidas como a implantação de áreas de proteção como parques lineares, calçadas ecológicas, jardins de chuva, contenção de assoreamento e educação para uso racional da água são urgentes para preservar a segurança hídrica.

Biografia do Autor

Leticia Mazzuco Sandri, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - campus Cascavel

Graduanda do Curso de Ciências Biológicas bacharelado, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, Paraná, Brasil.

Ana Cristina Ribeiro, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - campus Cascavel

Mestranda do Curso de Pós Graduação em Conservação e Manejo de Recursos Naturais – PPRN, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, Paraná, Brasil.

Rafaelle dos Santos Camargo, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - campus Cascavel

Graduanda do Curso de Ciências Biológicas bacharelado, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, Paraná, Brasil.

Crislei Larentis, Universidade Estadual de Maringá

Doutora em Biologia das Interações Orgânicas pelo Programa de Pós-graduação em Biologia Comparada, Universidade Estadual de Maringá – UEM, Maringá, Paraná, Brasil.

Rosilene Luciana Delariva, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - campus Cascavel

Professora Doutora na Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Laboratório de Ictiologia, Ecologia e Biomonitoramento, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde – CCBS, Cascavel, Paraná, Brasil.

Referências

AHERN, Jack. Greenways as a planning strategy. Landscape and urban planning, v. 33, n. 1-3, p. 131-155, 1995.

ALLAN, J. David. Landscapes and riverscapes: the influence of land use on stream ecosystems. Annu. Rev. Ecol. Evol. Syst., v. 35, p. 257-284, 2004.

ALLAN, J. David; CASTILLO, María M. Stream ecology: structure and function of running waters. Springer Science & Business Media, 2007.

BRASIL, Presidência da República. Novo Código Florestal Brasileiro: Lei Nº 12.651 de Maio de 2012: Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12651.htm#:~:text=Esta%20Lei%20estabelece%20normas%20gerais,n%C2%BA%20571%2C%20de%202012) > Aceso em: 19, novembro, 2020.

CADORIN, Danielle Acco; MELLO, Nilvania Aparecida. Efeitos da impermeabilização dos solos sobre a arborização no município de Pato Branco-PR. Synergismus scyentifica, Pato Branco, v. 6, n. 1, p. 1-8, 2011.

CAMARGO, J. R. D. A. Caracterização de parques lineares: o Eco Parque Morumbi como referência na cidade de Cascavel-PR. 2020. 86f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Toledo–PR, 2020.

CARDOSO, Fernanda da Silva; CARNIATTO, Irene. As Cidades Sustentáveis e os Parques Lineares: uma proposta de criação do Parque Recanto das Águas em Cascavel–PR. Cultivando o Saber, v.5, n.3, p.154-166, 2012.

CASTRO, Martha Nascimento; CASTRO, Rodrigo Martinez; DE SOUZA, Caldeira. A importância da mata ciliar no contexto da conservação do solo. RENEFARA, v. 4, n. 4, p. 230-241, 2013.

COLLEN, Ben et al. Global patterns of freshwater species diversity, threat and endemism. Global ecology and Biogeography, v. 23, n. 1, p. 40-51, 2014.

DE ALMEIDA, Amanda Francieli; OKAWA, Cristhiane Michiko Passos. Surface runoff estimate in urbanized area from the Rangel Stream basin at São Sebastião do Paraíso/MG. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, v. 23, p. 36, 2019.

DE ANDRADE, Aparecido Ribeiro; FELCHAK, Ivo Marcelo. A poluição urbana e o impacto na qualidade da água do Rio das Antas-Irati/PR. Geoambiente on-line, n. 12, p. 01-25, 2009.

FERREIRA, Anderson et al. Riparian coverage affects diets of characids in neotropical streams. Ecology of Freshwater Fish, v. 21, n. 1, p. 12-22, 2012.

GOMES, Lucimar dos Santos et al. Uso e aplicação de calçadas ecológicas na cidade de Anápolis – GO. Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes, v. 1, n. 1, 2013.

HABERLAND, Nara Tudela et al. Análise da influência antrópica na qualidade da água do trecho urbano do Rio das Antas na cidade de Irati, Paraná. Revista Tecnológica, v. 21, p. 53-67, 2012.

IAPAR. Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná. Mapas Climáticos Mensais. Disponível em: < http://www.idrparana.pr.gov.br/Pagina/Mapas-Climaticos-Mensais > Acesso em: 17, outubro, 2020.

IBGEa. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades e Estados. Disponível em: < https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/pr/cascavel.html > Acesso em: 22, outubro, 2020.

IBGEb. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades e Estados. Disponível em: < https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr/cascavel/panorama > Acesso em: 02, novembro, 2020.

INÁCIO, Euzelina dos SB et al. Quantificação da erosão em pastagem com diferentes declives na microbacia do Ribeirão Salomea. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 11, n. 4, p. 355-360, 2007.

MELO, Tássia dos Anjos Tenório de et al. Jardim de chuva: sistema de biorretenção para o manejo das águas pluviais urbanas. Ambiente Construído, v. 14, n. 4, p. 147-165, 2014.

MONTES, Rafael Menegazzo; LEITE, Juliana F. A drenagem urbana de águas pluviais e seus impactos cenário atual da bacia do córrego vaca–brava Goiânia-GO. Goiânia/GO: Universidade Católica de Goiás, 2008.

PACIORNICK, D. C. A implantação de parques lineares urbanos na perspectiva ambiental e social: um estudo de caso do córrego bezerra Cascavel –PR. 2018. 141f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Toledo–PR, 2018.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASCAVEL. Diagnóstico do Plano Diretor. Secretaria de Planejamento e Urbanismo de Cascavel, 2016. Disponível em: < https://portaldosmunicipios.pr.gov.br/download/public/arquivos/documentos/58/2019/02/28/X73ID6W4UkajKLhXZFZoOMuf2UcX17eQksXaDnRt.pdf > Acesso em: 26, outubro, 2020.

ROY, Allison H. et al. Urbanization and stream ecology: diverse mechanisms of change. Freshwater Science, v. 35, n. 1, p. 272-277, 2016.

SANEPAR. Imprensa. Disponível em: < http://site.sanepar.com.br/noticias/all > Acesso em: 18, novembro, 2020.

SNIS. Ministério das Cidades. Consumo de água: Veja indicadores por cidade do Brasil. Disponível em: < http://www.deepask.com/goes?page=Consumo-de-agua:-Veja-indicadores-da-sua-cidade > Acesso em: 27, outubro, 2020.

VOGEL, Huilquer Francisco; ZAWADZKI, Cláudio Henrique; METRI, Rafael. Florestas ripárias: importância e principais ameaças. SaBios-Revista de Saúde e Biologia, v. 4, n. 1, 2009.

VÖRÖSMARTY, Charles J. et al. Global threats to human water security and river biodiversity. nature, v. 467, n. 7315, p. 555-561, 2010.

Downloads

Publicado

01-09-2021

Como Citar

MAZZUCO SANDRI, L.; RIBEIRO, A. C.; CAMARGO, R. dos S.; LARENTIS, C.; DELARIVA, R. L. ÁREAS PERMEÁVEIS E O USO SUSTENTAVEL DE RECURSOS HIDRÍCOS EM CASCAVEL, PARANÁ, BRASIL. International Journal of Environmental Resilience Research and Science, [S. l.], v. 3, n. 2, 2021. DOI: 10.48075/ijerrs.v3i2.26458. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/ijerrs/article/view/26458. Acesso em: 28 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos